segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

Sismei que quero escrever..ferrou Oo


Paulo Freire, com certeza minha maior influência na Educação


Pois é...
Tempo atrás eu achava que quando alguém decidia escrever sobre algo, era por ter certeza (ou achar pelo menos) que tinha algo de muito bom pra contribuir com seus semelhantes.

Depois, lendo vários autores diferentes e quase que "ao mesmo tempo", percebo que quem escreve até pode achar isso - que tem algo a contribuir - mas que na verdade a coisa á mais urgente que isso.


Gichin Funakoshi - referência minha e de muitos outros no Karate-Do

Passa mais por uma questão de necessidade vital, pra ontem, de colocar pra fora o que se está sentindo, pensando, incomodando, deixando com a pulga atrás a orelha...

Claro que se a pessoa além disso tem a pretensão de achar que tem algo interessante a falar, melhor ainda - se realmente tiver rsrsrs - ou pior ainda se na verdade não for interessante o que tem a ser dito.



Carlos Drummond de Andrade e tantos outros que me inspiram e inspiraram a não parar de ler e de pensar! Viva a Poesia!

Mas quem define o "que é interessante" ou não ?!

Hoje acordei com a certeza que quero escrever: Sobre Karate, espiritualidade (não espiritismo necessariamente), educação, coisas que já faço um exercício tímido há algum tempo... mas a surpresa veio mesmo quando senti uma vontade súbita e quase inédita de escrever Ficção!

Claro, por que não? Já escrevi peças de teatro, na maioria infantis, porque tinha ainda a esperança de "ser montado" por algum grupo, Cia ou bom samaritano que visse em meus escritos algo de bom a ser colocado em cena. Mas nunca aconteceu do jeito q eu imaginava. E hoje isso não me frustra mais.

Mas me ocorreu o seguinte: E seu eu direcionasse essa vontade de escrever?

Bom...se as pessoas vão gostar ou não eu não sei rsrs Mas como a necessidade primeira é "botar no papel" o que está na cabeça, no mínimo vai valer como um belo exercício pra não enlouquecer ")



Augusto Boal, criador do Teatro do Oprimido, não só minha referência no Teatro (junto a Bertolch Brecht), mas sobretudo no que se refere à visão de mundo e sociedade.


Enfim, que eu possa dar vasão a tudo que me preenche a mente!!
E que vcs tenham paciência de ler tudo hehehee

5 comentários:

Dri Alcantara disse...

Isso mesmo amigo, sempre é bom expressar o que pensamos, seja com palavras escritas ou faladas, e isso vc sabe muito bem! Será que por causa do teatro??? Acho que até pode ter uma parcela de influência mas realmente essa questão de refletir e expressar vai mais do "eu" de cada um...tem gente que passa nessa vida sem pensar em nada, vai vivendo, mas vc não né, veio para somar e tb fazer a diferença. Um beijo carinhoso e "vamo que vamo"! Muita luz na sua vida sempre e aproveita e ilumina por onde passa! :)

Carlos Camacho disse...

Apoiado Guerreiro!
Parabéns!

Guerreiro da Paz disse...

Muito Obrigado pela força meus queridos!!

Como disse a Dri: "Vamo que vamo!!"

Dri, com certeza tem muito a ver com o teatro sim, ainda mais com tudo de bom que tivemos ali com o Claudio né..o cara é um educador, hoje não tenho dúvidas quanto a isso.

Grande Abraço pessoal e continuem comentando a vontade :)

Renata Fernandes Ramos disse...

:-)
Tudo que nao invento e falso, nas palavras de Manoel de Barros. Que suas ficcoes nos brinde com as utopias mais sonhadas ou com as verdades que de tao verdadeiras parecem mentiras!
Posso ate sentir o cheiro disso!!!

SAUDADEEES, bjao!!!!!

Guerreiro da Paz disse...

RENATAAAA!!!!!

Obrigado minha querida!!! O que num vai faltar é história pra contar né hehehe

Brincando de faz de conta a gente vai dizendo todas as verdades hehehe

Os Bobos da Côrte já faziam isso na cara dos reis antigos! hehe

Beijo grande querida!!